Destaques

Aceda às CIRCULARES da AAP na secção de NOTÍCIAS - CIRCULARES...

PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

PROGRAMA ELEITORAL - OBJECTIVOS

  • Encontrar instalações para a nossa sede, independentes de qualquer associado, condignas, funcionais e de "portas abertas" a todos os armeiros.
  • Admissão de um assistente que coordene toda a actividade administrativa da Associação, nomeadamente:
    • Promover e controlar uma base de dados de armeiros e conduzir inquéritos.
    • Controle de cobrança de quotas.
    • Coordenação do sitio da A.A.P.
    • Controle do sistema de correspondência entre a A.A.P. e outras entidades.
    • Recolha e sistematização de toda a informação recolhida junto dos sócios.
  • "Chamar" para a nossa Associação todos os Armeiros, sejam os mais recentes e ainda não associados, sejam aqueles que por qualquer motivo deixaram de fazer parte dela.
  • Desenvolver campanha pela participação de todos os armeiros.
  • Recuperar os antigos sócios da Associação.
  • Incentivar os sócios a terem uma participação tão activa quanto possível na A.A.P.
  • Implementar um Gabinete de Apoio Técnico/Jurídico que sob orientação da Direcção, possa defender os nossos interesses junto das autoridades policiais.
  • Admissão de um jurista a quem são atribuídas as seguintes funções:
    • Coordenação das relações e discussões com a PSP e GNR.
    • Orientação jurídica e apoio aos associados.
    • Coordenação da "Linha de Apoio ao Caçador".
    • Apoio jurídico à direcção da A.A.P.
  • Recorrer a um gabinete de Imprensa, no sentido de desenvolver uma politica de informação que permita melhorar a nossa imagem e das actividades correlacionadas, como a caça e o tiro desportivo.
  • Criação de um "Código de Ética do Armeiro".
  • Incentivar os armeiros a desenvolver actividades e atitudes que sejam "bem vistas" pela sociedade.
  • Procurar envolver personagens relevantes da nossa sociedade, em defesa da caça e do tiro.
  • Implementar uma politica de diálogo e cooperação com as OSC (Organizações do Sector da Caça) e Federações de Tiro.
  • Desenvolvimento, participação e divulgação de programas de formação e actualização na área da caça e do tiro.
  • Integração da A.A.P. em frentes comuns de combate à Lei das Armas e sua aplicação.
  • Contribuir para a "unificação" de todas as Entidades com interesses nestas áreas.
  • Estabelecer contactos, parcerias e protocolos com empresas na área administrativa afim de desenvolver plataformas e ferramentas de trabalho que possam ser utilizadas por todos os sócios.
  • Liderar protocolos que permitam benefícios aos associados nomeadamente com:
    • Empresas de gestão e fornecimento de software e hardware.
    • Seguradoras
    • Banca
    • Promotores de Feiras e Exposições
  • Discutir com as autoridades politicas a reformulação dos aspectos mais negativos da Lei das Armas. Participar activamente na revisão em curso, da Lei das Armas e da nova Lei da Caça.
  • Solicitar audiências imediatas com o M.A.I. e Grupos Parlamentares.
  • Encontrar apoio politico para a nossa causa.
  • Analisar da constitucionalidade da Lei das Armas.
  • Estabelecer relações institucionais com Organizações congéneres internacionais.
  • Inscrever a A.A.P. nas Organizações Internacionais do sector.
  • Proceder ao estudo comparativo das leis (armas e caça) europeias.
  • Promover a revisão dos Estatutos durante o primeiro ano de mandato.
  • Com a participação dos sócios proceder a uma revisão estatutária.
  • Reformular o sistema de quotas e da sua cobrança.
    • Propor um sistema de quotas em função da facturação.
    • Pagamento de quotas mensal por transferência bancária.